A influência da mídia nos transtornos alimentares e na autoimagem em adolescentes

Resumo

“A anorexia e a bulimia nervosa são transtornos alimentares (TAs) de etiologia complexa e multifatorial. Adolescentes são a população mais acometida por estes transtornos, apresentando casos sérios e com alta morbidade. Com a globalização e a mudança do padrão estético vigente, vem se preconizando uma imagem corporal magra e longilínea. Para se sentirem pertencentes ao meio social e perceber uma autoimagem positiva, optam pela mudança de seu comportamento alimentar de forma drástica. Este artigo propõe uma revisão narrativa da literatura, buscando discutir questões ligadas à mídia, ao padrão estético vigente e como estes podem influenciar no desenvolvimento de TAs nas adolescentes. Verificou-se que redes sociais e comunidades na internet podem influenciar o surgimento ou agravar os TAs. Intervenções baseadas na terapia cognitivo-comportamental demonstraram alta eficácia. Observa-se a importância do trabalho multidisciplinar no tratamento desta população, com intervenções coesas e assertivas, bem como o papel fundamental da família. Mostram-se necessárias mais pesquisas empíricas que pautem o desenvolvimento de técnicas de intervenção baseadas em evidências. Estimula-se ainda a reflexão sobre como a meios de comunicação podem influenciar positivamente na desmistificação do padrão estético vigente, bem como para importância de incentivar o pensamento crítico das adolescentes acerca do que observam propagados na mídia.”

Para ler o artigo realizado pela psicóloga Aline Copetti na íntegra:

https://seer.imed.edu.br/index.php/revistapsico/article/view/2664

Um convite para refletir…

reflexão sobre metas psicologia porto alegre

Quando o estabelecimento de METAS está a serviço de um crescimento pessoal e profissional? E quando o cumprimento dela a qualquer custo nos torna escravos massacrados com excesso de expectativas e ansiedade? É bom ficarmos conscientes disso, pois essa é uma linha tênue que pode passar para subjugação e escravidão dos nossos próprios ideais e dos ideais que a sociedade nos coloca como norteadores, como a perfeição, o sucesso, o fazer demais, o não ter tempo…